Paris

Agora enquanto escrevo isso, estamos indo a Londres já com saudades de Paris.

Foi muito incrível, aproveitamos demais!

Na chegada foi bem corrido, porque eu tinha um ticket para a torre Eiffel as 19:30 e o ônibus chegaria ao hotel as 18:30. As estradas estavam cheias na ida de Bordeaux a Paris, era volta das férias, pegamos alguns congestionamentos. Mas como havíamos saído meia hora antes chegamos, felizmente 10 minutos antes do esperado. Fomos rápidos para pegar as malas, e como eu já havia falado com a guia que não teria muito tempo, pegamos as chaves do quarto por primeiro.

Teríamos 1 hora para chegar até a torre, vendo pelo Google o metro demoraria 40 minutos, e de bicicleta um pouco menos. Resolvemos ir de bicicleta aí aproveitaríamos para conhecer o caminho, eram 9 km até lá. Sendo que era nossa primeira vez em paris. Fomos até o primeiro ponto de bicicletas e não havia nenhum disponível, tivemos que pegar na próxima estação, deu tudo certo com o pagamento, e pegamos as bicicletas sem problemas. Já era 18:50 quando começamos a pedalar, tínhamos 40 minutos, mas levou 44 minutos para chegar, mas chegamos. Esse primeiro passeio por Paris foi incrível. Fomos direto para a entrada da Torre, eu já tinha os tickets comprados, então não foi necessário nenhuma espera lá em baixo, mesmo com uma fila gigante lá embaixo.

Nessa hora já estávamos aliviados que deu certo chegar até lá, estávamos felizes mesmo. Agora era só esperar o elevador e curtir. Subimos direto ao segundo piso, ficamos impressionamos lá de baixo com o tamanho da torre, lá de cima é tão impressionante quanto lá de baixo. Ficamos lá até depois das 10, foi demais! Descemos e fomos andar um pouco. Então a fome bateu, e fomos atrás de um restaurante, já quase meia noite, e quase todos restaurantes estavam fechados. Começamos a ir em direção ao hotel de bicicleta e procurando lugar para comer, já tínhamos perdido as esperanças de comer, aí vimos uma pizzaria… Comemos uma Marguerita deliciosa, porque estávamos mortos de fome :).

Felizes e alimentados e perto da 1 da manhã, pegamos a bicicleta e continuamos em direção ao hotel, chegamos 1:30 da manhã!

No segundo dia, fizemos um tour pela cidade de ônibus, acabamos vendo que havíamos andado boa parte de bicicleta. Esse foi o dia que fomos no Louvre, é um museu incrível, 16 km de corredores. O dia estava quente, passamos calor lá dentro. Vimos a Monalisa, uma multidão querendo chegar perto. Ficamos lá, seguindo o fluxo e chegamos até a frente quase sem precisar andar, a multidão te carrega haha… Depois o fomos até os apartamentos de Napoleão, o que foi o que mais gostamos. Ficamos lá umas 3 horas, suficiente para quem não entende muito de arte ficar satisfeito ;). Após deitamos nos jardins do Louvre para descansar uns 15 minutos, depois seguimos nosso passeio e fomos ao arco do triunfo. A Champs Elisée é demais, uma avenida com as lojas mais famosas do mundo, muita gente rica fica por aquela região, é por essa avenida que chegamos no arco do triunfo, uma rotatória enorme, com várias pistas, e uma confusão enorme. Passamos por um tunel que dá acesso ao arco. É impressionante, é incrível como a cada momento conseguimos encontrar algo que nos deixa de boca aberta.

Para o final da tarde resolvemos ir a Montmatre, onde vimos a catedral de Sacre Cour, onde tem um mirante de Paris muito bonito. Nesse bairro resolvemos ir a um mercado e vimos que a comida no mercado é mais barata que no Brasil, mas no restaurante no Brasil é muito mais barato. Passeamos pelo bairro, e resolvemos ir até o teatro onde há o espetáculo do Moulin Rouge, a rua que dá acesso é cheia de Sex Shops e bares executivos. De lá pegamos o metro para o hotel para testar o metro. Chegamos após a maia noite no hotel.

O terceiro dia foi o melhor, começamos com uma visita ao palacio de versalhes, não entramos no palacio mas fomos aos jardins do palácio, é gigantesco, 50 campos de futebol. Voltamos para o almoço para o centro de Paris, tomamos um café e pegamos a bike para ir até a famosa Catedral de Notre-Dame, a entrada é gratuita, tem muitos turistas, mas a fila anda rápido. A catedral é demais, mais uma catedral impressionante, que começou a ser construída em torno do ano 1200.

Após fomos ao Pantheon, e então na sequencia paramos um tempo para um piquenique nos Jardins de Luxemburgo, foi demais, e gostamos mais desses jardins do que dos jardins do palácio de Versalhes. O dia estava sendo muito bom!

Após pegamos a bike para ir em direção ao Museu Orsee e após fomos a Ponto Alexandre III que fica em frente ao obelisco. Continuamos o passeio e paramos no museo Petit Palais, com entrada gratuita e foi muito legal, por ser um passeio rápido e ainda ter banheiro. Para finalizar o dia fomos até a Torre Eiffel, fizemos mais um piquenique e esperamos o espetáculo de luzes, que é quanto a torre começa a piscar vários flashes, a partir das 10 da noite, e a cada hora ela volta a brilhar novamente, é bem bonito. Muita gente fica no Champs de Mars só a espera disso, e o melhor que você o pôr-do-sol por ali mesmo, é muito bonito.

Sem dúvida, o último foi o melhor dia, fizemos muita coisa, e para finalizar voltamos de bike para o hotel. Compramos alguns queijos e vinhos na França, aí fizemos uma noite de queijos e vinhos para comemorar nossa última noite na França.

San Sebastian – Bordeaux – Blois

San Sebastian

Passamos por San Sebastian na ida até Bordeaux. Não esperávamos muito, mas é uma cidade litorânea lindíssima, com um mar bonito, e uma orla cheia de prédios com hotéis e restaurantes. Havia muita gente nas ruas, era um Sábado, tivemos tempo de dar uma volta pela cidade e comer algo em uma taberna local. A comida foi muito boa, talvez a mais gostosa que comemos, costelinha com batatas e pimentões vermelhos, comemos uma sobremesa feita com um creme de queijo, goiabada e um biscoito moído, muito bom e diferente. Nesse lugar não falavam inglês, então nos viramos como deu. A visita foi breve mas inesquecível.

Bordeaux

Ual. Não tem melhor palavra para descrever a sensação de andar por essa cidade. Nossa, é fantástica, muito organizada, restaurantes incríveis. Saímos do hotel as 20:00 para conhecer a cidades, logo pegamos as bicicletas da cidade e fomos em direção da catedral e da parte principal que era ao longo do rio Garonne. Passamos pela Pont de Pierre, e do outro lado tivemos uma visão fantástica da cidade. Após escurecer resolvemos jantar, e comemos em um restaurante típico francês. Comi como entrada um atum com claras e a Chris caracóis e camarões, e como prato principal comi umas carnes com batatas e a Chris comeu salmão. De sobremesa peguei um Ile flottant e a Chris um creppes au sucre. A noite foi romântica, os olhos da Chris demonstravam a felicidade dela. Foi um dia muito leve e feliz, ficará para sempre nas nossas memórias.

Blois

Indo de Bordeaux a Paris, passamos por Blois, uma cidadezinha pequena, mas muito antiga. Ficamos por lá por 3 horas, e tivemos tempo de visitar alguns pontos turísticos da cidade.

Para ir ao banheiro fomos a um restaurante, um dos poucos abertos, enquanto a Chris estava no banheiro eu pedi uma cerveja, o interessante que lá eles me falaram que não servem somente cerveja, eu teria que comer lá para tomar uma. Aí fomos para uma cervejaria, que por incrível que pareça também serve cerveja só se for comer, fomos andando até que encontramos um lugar que vendia só cerveja, aí comemos por lá haha. Na verdade, iriamos só beber mas mudamos de ideia porque não teríamos tempo de comer até sair da Torre Eiffel, provavelmente depois das 22:00.

Depois fomos dar uma volta pela cidade, fomos até a ponte principal da cidade e depois até a catedral, demos uma volta pelas ruas e então voltamos ao ônibus. Saímos meia hora antes do planejado por que era volta de férias e poderíamos pegar muito transito.

O vídeo abaixo é tem momentos das três cidades, espero que gostem:

Toledo

Toledo foi a primeira capital espanhola, e por falta de espaço para crescer a capital foi transferia a Madri, que na época era uma vila, e até hoje não possui o título de “Cidade”.

Para ir a Toledo usamos o trem de alta velocidade, a viagem é pontual, sai certinho na hora marcada, e chega em ponto.

Chegamos lá perto das 10 da manhã, não fomos com guias ou em um pacote turístico, pesquisamos bastante no Google e já foi o suficiente. Da estação de trem não se vê nada da beleza da região, mas caminhando um pouco já encontramos a Ponte de Alcantara, que é uma das principais pontes para entrada a parte turística de Toledo.

Passando pela ponte, entramos num portal de pedra, e fomo indo por uma escadaria enorme até o topo, demorou alguns minutos, passamos por uma escola que fica no meio da escadaria. Chegando lá em cima, compramos a melhor agua que já bebemos, e a mais cara também, 2 euros 500 mls hehehe. Depois encontramos um mercado e compramos mais uma agora, agora bem mais em conta, 1.5 L por 0.85 centavos.

Fomos direto para a praça de Zocodover para pegar um mapa, como já tínhamos lido sobre os lugares, um mapa poderia ajudar. Após pegar o mapa fomos em direção a catedral de Toledo, chegamos até ela pela parte de trás, e não vimos o quanto ela é bonita nesse momento, continuamos o passeio e passamos por diversos outros pontos. A cidade é bem pequena, andamos por ela muito, cansa bastante pela quantidade de subidas e descidas, mas as distancias entre as coisas são curtas.

Almoçamos Paella com Lulas fritas e Batatas, tomamos vinho da casa, e uma sobremesa. Após o almoço paramos para descansar, a Chris chegou a dormir no banco da praça :), ficamos lá por algum tempo e enfim voltamos a caminhar. O objetivo agora era ir novamente até a catedral e vela de frente.

Quando chegamos até a catedral, ficamos impressionados, ela é muito grande, possui muitos detalhes, mesmo depois de ver tantas coisas bonitas ainda assim conseguimos nos impressionar bastante com ela. Decidimos então entrar na catedral, 8 euros por pessoa, e você tem o direito a um áudio guia. Ao entrar na catedral, novamente ficamos de boca aberta, ela tem várias capelas,  vários altares, um órgão central e diversas salas com pinturas e quadros. Há uma sala que tem a pintura de todos os padres que já passaram por alí, desde o ano 300, é muito impressionante, e o estilos dos retratos continua o mesmo.

A catedral é cheia de  esculturas que se complementam com pinturas, tudo tem uma história, um detalhe. Só nessa catedral dá para ficar alguns dias aprendendo sobre todos os simbolismos que foram adicionados. A visita durou mais de uma hora, gostamos muito.

Perto das 18 horas, resolvemos voltar para estação pela rua que contorna a cidade, é uma estrada que passa ao lado do rio Tejo, o mesmo que passa em Lisboa. Então tivemos uma caminhada longa, onde passamos por alguns parques, ruínas, e casas muito bonitas. Tiveram momentos que precisamos subir umas escadarias para continuar a diante por não haver uma continuação no caminho. Passamos por diversos mirantes, e por uns trechos que fica num penhasco, onde o contato com a natureza foi demais! Não haviam turistas ali, poucas pessoas passaram pela gente. Nossa caminhada durou pouco mais de uma hora, e enfim chegamos a ponte de Alcantara novamente. Por fim seguimos em direção a estação de trem e retornamos a Madri.

Madri

Como a chegada em Madri foi um dia antes, tivemos metade do dia para conhecer muitos novos lugares, isso foi bom para ficar mais tranquilo nos outros dias.

Resolvemos pegar as bicicletas no segundo dia, e andamos até a casa del Campo. O lugar é longe e não tinha pontos para deixar as bicicletas, então tivemos que pagar por 2 horas da bicicleta. Na volta, viemos por um bairro residencial, e conhecemos um pouco de onde os moradores vivem. Como ainda estávamos sem as malas, ainda estavamos preocupados se elas viriam ou não, tivemos que voltar ao apartamento perto das 11 para ligar ao aeroporto e ao hotel para saber das malas. Chegamos, como planejado ao apartamento, ligamos primeiro a pessoa que alugou o apartamento para ver se as malas estavam lá, mas ela disse que não, depois liguei no hotel que iriamos a tarde e também tivemos um não como resposta. Como tínhamos visto pela manhã que as malas haviam sido encontradas, estávamos ansiosos pela entrega.

Tínhamos um transfer do apartamento para o hotel marcado para meio dia e meia, ele chegou meia hora antes, e acabamos indo para o hotel mais cedo. Chegando no hotel ficamos impressionados, o hotel era muito bom. Perguntamos novamente sobre as malas, e elas ainda não tinham chegado. Fomos até o quarto, e logo que entramos o telefone tocou, era a recepção falando que as malas estavam ali! Que alívio! Tínhamos ainda um tempo no hotel, porque faríamos um tour pela cidade de ônibus, as 16:00. Então vimos que havia uma piscina no hotel e como o dia estava quente, fomos direto para lá.

Após fomos para o city tour, conhecemos muitos outros lugares que não tínhamos visto ainda. Foi fantástico, e a noite ficamos pelo centro para comer algo.

O guia indicou comer bocadilhos com Jamón (Presunto) em uns restaurantes que o sanduiche é 1 euro e a cerveja 50 centavos. Fomos lá, comemos e bebemos bem, e deu 7.80 euros. Para um lanche vale muito a pena e é interessante o modo que eles servem as pessoas, praticamente todos ficam em pé no balcão e você paga logo que recebe a comida, porque tem tanta gente que eles não conseguiriam controlar quem pagou ou não.

Voltamos para o hotel de ônibus, ainda não tínhamos testado o ônibus de Madri, como esperado, é muito bom. Chegamos no hotel e começamos os preparativos para amanhã, quando visitaremos Toledo, a primeira capital da Espanha.

Aqui vai mais um vídeo com o resumo do que foi Madri, muito bom mesmo, eu moraria aqui!

Chegada – Malas perdidas

Enfim chegamos a Madri! Felizes que deu tudo certo, que não perdemos o voo, fomos direto para pegar as bagagens. Acho que esperamos mais de meia hora, até que a esteira parou, e fecharam as portas da entrada de malas da esteira. Infelizmente as nossas malas não apareceram ali. Então fomos perguntar, tive que abrir um processo de recuperação da mala. A moça do aeroporto comentou que pelo fato da conexão de Roma – Madri ser de apenas 45 minutos, isso  geralmente faz que as malas cheguem atrasadas, que era o caso.

Não tinha o que fazer a não ser esperar pela mala no hotel. Então como planejado, fomos até a estação de metrô para ir até o hotel que eu havia contratado para o primeiro dia. Na estação, uma senhora muito gentil nos ajudou, mostrando como comprar os tickets e como chegar ao hotel. Demorou alguns minutos para a gente se localizar e ter certeza que estava indo para a direção certa. Aí tudo ficou simples, e chegado em meia hora no hotel.

Chegando no endereço, não havia nada, nenhuma placa de que aquele local era um hotel. Imaginei que tinha sido um golpe, e o hotel não existisse. Mas como geralmente olho as recomendações, e tinha certeza que aquele hotel existia, achei que ele pudesse apenas estar com o endereço incorreto. Mas não estava, era aquele endereço mesmo, após andarmos um pouco voltamos para o endereço e tocamos a campainha (havíamos feito isso antes, e ninguém atendeu). Dessa vez um homem apareceu, aí perguntei se ali era um hotel ele disse que sim, e pediu que esperássemos 5 minutos ali na porta. Esperamos, e de repente uma moça apareceu com uma lista na mão, e minha reserva estava ali, ufa. Mas ela disse que como ficaríamos somente 1 dia, ela achou melhor nos deixar em um apartamento, perguntou se havia problema e respondemos que não. Finalmente chegamos e passamos o primeiro dia em um apê bem no centro de Madri.

A localização do apartamento era muito boa, perto dos mais conhecidos pontos turísticos, então saímos a pé, e visitamos a Praça da Espanha, templo de Debod, palácio de Madri, a catedral de Almudena, e outros lugares, todos muito legais! A cidade é bem legal, muito turística, muitos turistas. Andamos a city bike também, vale a pena apesar dos 2 euros por hora.

Terminamos o dia num lugar chamado 100montaditos onde as quartas ele tem o tal de “Euro mania” que é um menu completo por 1 euro. Comemos 2 montaditos, uma fritas, onion rings e asas de frango, e bebemos 2 copos grandes de chopp por 7 euros, valeu muito a pena.

Voltamos ao apartamento depois da meia noite, ainda muita gente estava na rua, acho que a cidade não para nunca, é muito agitada o tempo todo, sempre um clima muito bom. Logo fomos dormir, antes verifiquei no site da aliitalia alguma novidade sobre a bagagem e nada ainda :(, começou a bater o desespero de ficar o mês todo sem nossas coisas, pesquisei no Google vários casos de malas perdidas pela aliitalia e que nunca mais apareceram, tomara que a nossa apareça!

Amanhã iremos a casa del campo e a alguns musseus se possível, iremos também conhecer o primeiro hotel do nosso roteiro oficial, esse dia inicial foi um “extra” por causa do voo que foi um dia antes.

Ida a Madri – O começo

Um dia antes da viagem, fiquei fazendo as malas até as 3 da manhã. A Chris já estava dormindo quando fui me deitar. De certa forma foi bom dormir tarde por que já me ajudou para entrar no fuso horário Europeu.

Meu pai e minha mãe nos levaram ao aeroporto em Curitiba, saímos cedo, as 6 da manhã. Dormi somente 2 horas e meia. A chegada no aeroporto foi tranquila, despachamos as malas, nos despedimos dos pais e ficamos esperando o voo! Aos poucos o sonho da lua de mel começou a se tornar realidade.

O voo a São Paulo foi tranquilo, esperamos por lá por 5 horas, que passaram rápido. Tínhamos levados doces do casamento e salgadinhos. Foi bem legal, a parte de Guarulhos que ficamos é muito bonita, e foi bem confortável. Com tomadas e acesso Wifi grátis.

O voo para Madri tinha escala em Roma, o voo para Roma foi muito bom, geralmente não dormimos bem, mas dessa vez conseguimos descansar mais do que o normal. Chegamos a Roma, 6:58, minutos antes do previsto, 7:15.

Nosso voo para Madri era as 8:00, e não poderíamos perder tempo em Roma. Nos preparamos bem já no avião fomos ao banheiro e ao descer do avião fomos direto em direção no voo de conexão. Então, o aeroporto de Roma é muito grande, e fomos seguindo o fluxo de pessoas, ao chegar na imigração, após pegar uma fila gigante de uns 10 minutos, o agente foi legal e perguntou se a gente não gostaria de voltar, porque o terminal de embarque do nosso voo era muito longe para ir a pé, e muito longe é muito longe mesmo, alguns quilômetros. Aí bateu o desespero, era 7:30, já éramos para estar embarcando e ainda estávamos longe do terminal de embarque. Voltando fomos perguntando, e teve um ou agente que pediu para gente voltar, mas não demos bola haha, porque o cara nem falava Inglês, e logo após eu perguntar, vi uma placa informando a direção do terminal. Seguimos e passamos pela imigração, muito tranquilo, não perguntaram nada, não revistaram as malas, não pediram para mostrar o seguro viagem. Isso eram 7:45 já. Vimos num painel do aeroporto que o portão havia sido mudado, então fomos direto para o novo portão, fomos correndo, literalmente e felizmente chegamos, já estavam fazendo as últimas chamadas para o embarque, fomos os últimos a entrar no avião.

Com emoção é sempre melhor, :)

Estou escrevendo isso do avião ainda e ansioso para conhecer Madri. Haverá um video por cidade visitada, fiquei ligado!